Buscar
  • Fischer Comunicação

Produção de leite aumenta no Rio Grande do Norte


A pecuária leiteira no Rio Grande do Norte voltou a registrar números positivos nos últimos dois anos. Dados divulgados pelo Anuário do Leite 2020 pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) mostram que o volume do líquido inspecionado saltou de 69 milhões de litros em 2011 para 77 milhões de litros no ano passado, perfazendo aumento de 11,54% no período. As informações mais recentes sobre a produção de leite por Estados, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) relativos ao ano de 2018 mostram que a produção de leite no Rio Grande do Norte cresceu 14,78% em comparação com 2017 – de 239 milhões de litros para 279 milhões de litros nos anos analisados.


O secretário de Estado do Planejamento e das Finanças, Aldemir Freire, destacou a importância da cadeia leiteira no RN em apresentação feita recentemente durante o anúncio do reajuste do valor pago pelo litro do leite aos produtores locais que fornecem ao Programa do Leite. Na apresentação intitulada 'Estruturação e Fortalecimento da Pecuária Leiteira do RN', Aldemir Freire ressaltou que a produção agropecuária potiguar gerou R$ 3,2 bilhões em 2018 (dados mais atuais do IBGE) e entre os principais produtos do setor mais a aquicultura estão: camarão (R$ 609.703 milhões); cana de açúcar (R$ 553.907 milhões) e leite (R$ 452.648 milhões). Na ocasião, Freite pontuou o que é necessário para a pecuária leiteira potiguar evoluir nos próximos 10 anos.


“A atividade se insere no conjunto de medidas que o Estado está tomando para retomar a economia. Incentivando a pecuária estamos trabalhando para a recuperação da economia do RN. Temos o maior número de produtores, e maior disseminação geográfica”, explicou Freire. Para ele, incentivando a “Aliança Produtiva do Leite” no pós pandemia, o Rio Grande do Norte poderá aquecer sua economia e recuperar índices positivos de desenvolvimento e geração de emprego e renda. Ações como o melhoramento genético, feito pela Empresa de Pesquisa Agropecuária do RN (Emparn) e inspeção sanitária e certificação pelo Instituto de Defesa e Inspeção Agropecuária do RN (Idiarn); farão mudanças significativas.


Reajuste


O Estado confirmou o reajuste de 11,1% do valor pago pelo litro de leite bovino e caprino adquirido para o Programa do Leite Potiguar (PLP) após quatro anos de negociações entre gestores e produtores. Após o reajuste de 11,1%, que começa a ser pago na segunda quinzena de setembro, o litro de leite bovino passa a custar ao Estado R$ 2,40, dos quais R$ 1,50 são repassados ao produtor e R$ 0,90 ao processamento do laticínio. O valor atual é R$ 2,16 (R$ 1,38 ao produtor e R$ 0,78 ao laticínio). O litro do leite caprino também sofre reajuste e passará a ser adquirido por R$ 3,00 (valor atual é R$ 2,70).


O PLP integra as ações de desenvolvimento rural e de segurança alimentar do Estado e atua, particularmente, para o fortalecimento da Agricultura Familiar e para a promoção do direito humano à alimentação adequada e saudável das famílias em situação de vulnerabilidade social, alimentar e nutricional. A projeção de investimento mensal para o programa é de R$ 3,9 milhões, beneficiando 70 mil famílias.


Com a atualização no preço, o Estado vai custear o aumento de 20% no valor do litro de leite do Programa de Aquisição de Alimentos – Modalidade Incentivo ao Consumo e à Produção de Leite (PAA-Leite).


As informações são do Seplan/RN, publicadas na Tribuna do Norte.

1 visualização

Vendas e informações

11 2730 0522

  • LinkedIn - círculo cinza
  • Instagram - Cinza Círculo
  • Facebook - círculo cinza

Quero expor

MAPA DO SITE