Buscar
  • Forlac

Pecuaristas de leite de Patrocínio (MG) buscam melhoria genética


A melhoria da genética nos rebanhos bovinos é importante para se obter uma maior produtividade e ganhar competitividade no mercado. Na produção de leite, isso tem se tornado cada vez mais necessário. Uma parceria firmada entre a ABS, empresa de genética bovina, e a Cooperativa Agrícola de Patrocínio (Coopa) vai ajudar os produtores associados a darem um salto na produção.


Através do projeto “Mais Produtividade”, desenvolvido pela ABS, pecuaristas de pequeno e médio portes terão acesso à tecnologia de embriões. A implantação de embriões acelera em sete vezes a melhoria genética que seria promovida apenas pela inseminação artificial.


As expectativas em relação à parceria são positivas e é esperado avanço rápido na melhoria genética, na produção e na competitividade dos produtores de leite. De acordo com o médico veterinário e gerente de Negócios Embriões da ABS, Pedro Ivo Silveira Henriques, a parceria da ABS com a Coopa busca entregar o melhoramento genético para os pequenos e médios produtores da região de Patrocínio.


A Coopa fez a identificação dos produtores com potencial para participar do projeto. O objetivo, nesta primeira fase, é entregar de 100 a 200 prenhezes confirmadas aos 60 dias. “Estes embriões, que serão utilizados, são produzidos através de fêmeas geneticamente superiores com touros da bateria ABS. Uma das vantagens da transferência de embriões é que o produtor consegue selecionar o grau de sangue desejado conforme a necessidade de manejo e do sistema de produção da propriedade”, explicou Henriques.


Com a implantação dos embriões, que são sexados com predominância para o nascimento de fêmeas, também haverá um salto genético, já que os animais que vão nascer terão genética mais avançada. Além de gerar animais mais produtivos, os embriões selecionados também trarão rusticidade, um aspecto de grande relevância na região.


“A técnica permite um salto genético na próxima geração de fêmeas nascidas. O produtor que participar do programa terá animais melhores e em menor tempo. A técnica é sete vezes mais rápida do que a de inseminação”.


Maior produtividade - Além do avanço na genética, com a técnica também é possível uma maior padronização do rebanho conforme as necessidades. O resultado esperado com o maior nascimento de fêmeas com alto padrão genético é o aumento da produção de leite. “Aumentando a produtividade, o produtor aumenta a competitividade e, consequentemente, a rentabilidade”, explicou Henriques.


Em nota, o presidente da Coopa, Fausto Amaral da Fonseca, disse que o projeto é motivo de comemoração na cooperativa. “Estamos muito esperançosos com a parceria feita com a ABS. Em primeiro lugar, porque acreditamos no valor da genética e da transferência de embriões da empresa, e também pois sabemos a importância do melhoramento genético e da tecnologia para o nosso setor. É uma equipe especializada e competente para trazer ganhos marcantes para os rebanhos”, avalia Fausto.


Pelo Mais Produtividade, que está em fase inicial junto aos produtores associados da Coopa, foram feitas a transferência de embriões na propriedade de cinco produtores. A estimativa é atender cerca de 20 a 30 associados. Outra vantagem da parceria é que o pecuarista que participar do projeto pagará os custos com o leite produzido e entregue na cooperativa. Eles também só farão o pagamento das prenhezes confirmadas e com 60 dias.


A maioria dos embriões será da raça Girolando – particularmente, Girolando ¾ – mas outros rebanhos terão prenhezes de Girolando ? e 1/2, Gir, Jersey e Holandês. Um dos diferenciais do projeto é que ele também abrange aqueles produtores que ainda não fazem uso da inseminação artificial, oferecendo uma oportunidade de obter os benefícios associados às tecnologias que visam ao melhoramento genético. Todo o processo será acompanhado pela equipe técnica da ABS. Desde 2012, a ABS já fez mais de 20 mil prenhezes junto aos parceiros de todo o País.


Sul de Minas recebe kits de inseminação artificial - A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais (Emater-MG) fez nesta semana entrega simbólica de kits de inseminação artificial para a melhoria da genética do rebanho bovino do Sul de Minas, na sede da empresa, em Belo Horizonte. Entre os equipamentos e materiais adquiridos pela estatal para entrega a 11 municípios da região estão 12 botijões para acondicionamento das doses de sêmen e 12 motocicletas para deslocamento dos inseminadores entre as propriedades.


A doação é o resultado da aplicação de recursos de emenda parlamentar impositiva estadual de 2019, de autoria do então deputado estadual Emidinho Madeira (atualmente deputado federal) e vai beneficiar pequenos pecuaristas da região. A licitação dos equipamentos e o projeto técnico para implantação do programa de melhoria genética foram feitos pela Emater-MG, empresa vinculada à Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).


“Estamos buscando fazer parcerias com todos os atores que militam no desenvolvimento rural do Estado de Minas Gerais, unindo forças para a gente conseguir potencializar nossas ações em prol dos produtores rurais”, argumenta o diretor-presidente da Emater-MG, Otávio Maia.


Beneficiados – Os municípios beneficiados pela doação dos kits de inseminação artificial são: Alpinópolis, Careaçu, Guapé, Inconfidentes, Natércia, Paraguaçu, Pimenta, Santa Rita de Caldas, São Sebastião da Bela Vista e Senador José Bento, que receberam uma moto e um botijão cada; além de Monte Belo, que foi contemplado com 2 motos e 2 botijões. Cada motocicleta custou R$11.220,00 e cada botijão foi adquirido por R$ 2.834,00.


Durante a solenidade de entrega, estiveram presentes a diretoria executiva da Emater-MG, a secretária de Agricultura de Minas Gerais, Ana Valentini, deputados estaduais e prefeitos. Segundo a secretária Ana Valentini, o agronegócio sempre teve um importante papel na economia de Minas e o setor ganhou ainda mais relevância com a pandemia.


“O agricultor nunca para, trabalha todos os dias de sol a sol, especialmente os pequenos. Em Minas Gerais, no campo, mais de 90% são pequenos produtores, então esse tipo de projeto é de fundamental importância para trazer mais renda para eles. Esse projeto, além de gerar novilhas de boa qualidade genética, vai trazer ganhos de produtividade do leite, melhorando assim a lucratividade dos pequenos pecuaristas”, explica a secretária.


“É uma parceria que deu muito certo entre governo de Minas Gerais, Secretaria Estadual de Agricultura e a Emater-MG, com apoio do Instituto Federal Campus de Muzambinho. Até o momento já foram inseminadas mais de 80 mil vacas. Nossa proposta é levar a genética até o pequeno pecuarista. Nós já investimos uns R$4 milhões de emenda nesse programa e já temos um retorno de mais de R$200 milhões na mão do pequeno produtor”, comenta o deputado.


O prefeito de Careaçu, Tovar dos Santos Barroso, tem boas expectativas a respeito do trabalho. “Nós sabemos que a inseminação artificial do rebanho bovino traz um ganho enorme para toda pecuária da região. E esse projeto da Emater vai contribuir em muito para a seleção e melhoramento do gado do Sul de Minas, seja o holandês ou de corte”, diz Tovar Barroso.


As informações são do Diário do Comércio.

3 visualizações0 comentário