Buscar
  • Forlac

Cacau Show vai investir R$ 100 milhões em segunda fábrica no país


A Cacau Show terá uma nova fábrica que vai começar a operar em 2022, será a segunda da empresa. A unidade está localizada em Linhares (ES), onde a fabricante e varejista de chocolates possui fazendas de cacau. O objetivo é aproximar o plantio da produção e, até 2030, se tornar autossuficiente no cultivo do fruto, diz o presidente e fundador da empresa, Alexandre Costa.


Os investimentos da Cacau Show até 2025 podem chegar a R$ 180 milhões. Somente na fábrica serão aportados até R$ 100 milhões, e a nova unidade representará uma expansão de 25% da produção da Cacau Show, com a geração de 210 empregos. Mas o plano é mais ambicioso. O restante dos recursos será alocado na compra de terras no Espírito Santo, no sul da Bahia e também no Pará, destinadas ao plantio de cacau. Os investimentos serão feitos com capital próprio, diz Costa.


“Estamos montando uma biorefinaria de cacau, onde iremos trabalhar todo o cacau para fazer um produto ‘farm-to-shop’ – da fazenda para a loja. Da mesma forma que aconteceu com o café e o vinho, queremos oferecer uma gama diferenciada e mais ampla de produtos, como o mel de cacau”, afirma o executivo. Hoje o processo de produção não aproveita todo o fruto, algo que a Cacau Show tem objetivo de mudar. A ideia é que partes do cacau como a sibira (película que envolve a amêndoa) e a casca passem a ser utilizadas.


“Nosso sonho é ser autossuficiente no plantio. Estamos procurando terras, esse é um projeto para 2030. A cultura do cacau leva cinco anos para começar a dar resultado”, diz Costa.


A primeira fábrica da empresa no país está localizada em Itapevi (SP). Anualmente, a Cacau Show produz 20 mil toneladas de chocolate. Para garantir esse volume, a empresa consome 10 mil toneladas de cacau que, depois de processado, se transforma em 8 mil toneladas de massa de cacau. O fruto, o principal ingrediente, representa, portanto, 40% do total do chocolate produzido. Outros ingredientes utilizados são leite, creme de leite, frutas, cerejas e licores.


A nova fábrica também vai funcionar como um centro de distribuição para as regiões Norte e Nordeste, onde a Cacau Show vê oportunidades de crescimento, ao lado do Centro-Oeste. Em 2021, serão abertas 500 novas lojas, número recorde para a companhia — 380 estão funcionando e outros 120 contratos já estão assinados, com previsão de início das operações até dezembro. O maior número de inaugurações em um único ano, em 2018, foi de 240 unidades. Das lojas novas, 10% serão próprias e o restante, franquias. Hoje a empresa tem 2.640 pontos de venda.


A empresa está terminando o planejamento para 2022, mas a expansão, diz Costa, deverá, pelo menos, manter os números de lojas inauguradas em 2021. Apesar das dificuldades por causa da pandemia, no ano passado não houve fechamento expressivo de lojas, diz o executivo. Foi mantida a meta de 1% de encerramento de unidades.


O executivo aposta no crescimento do consumo de chocolate. “O consumo per capita de chocolate no Brasil é menor do que na Europa, temos tudo para crescer”, afirma. A expansão tende a ser orgânica e não por meio de aquisições. “Temos muita expertise na empresa e não faz sentido comprar um concorrente pequeno. Vamos criando nossos mercados.”


A empresa também trabalha em um projeto de hotel em Campos do Jordão (SP), para ampliar a experiência do consumidor com a marca.


O fim do ano tende a ser doce, diz Costa. A empresa deve encerrar dezembro com faturamento de R$ 2,9 bilhões — R$ 900 milhões a mais do que em 2020. “Os consumidores estão voltando a encontrar as famílias, somos uma opção de presente. Os 'gifts' representam metade do negócio, estamos otimistas com o último trimestre do ano”.


As informações são do Valor Econômico, adaptadas pela equipe MilkPoint.

18 visualizações0 comentário