top of page
  • Rofer Eventos

7 motivos para inovar na indústria de sorvetes


A exploração com sucesso de novas ideias, definição mais aceita para o termo inovação, é fundamental na indústria de sorvetes, dada a grande concorrência que existe no mercado entre empresas de todos os tamanhos. Mas não é só isso, a inovação transcende a concorrência, já que seus benefícios estão correlacionados com a saúde da empresa e seu crescimento.

Além de aumentar as vendas e o faturamento, o lançamento frequente de produtos assertivos proporciona diversos outros benefícios, desde construção da marca até a liderança em novos mercados, como será explicado a seguir.

E se o processo de inovação for realmente bem-feito pela empresa, o consumidor não só será beneficiado por algo surpreendente, mas saberá a quem recorrer quando estiver procurando por novos produtos e marcas dali em diante.

Neste primeiro artigo do projeto Inova Sorvetes by Doremus, saiba por que é essencial para a indústria de sorvetes inovar em produtos. O assunto será aprofundado nos próximos conteúdos, com estratégias e oportunidades de inovações que podem ser conduzidas pelas empresas de fabricação e comercialização de sorvetes, entre outras propostas.

Confira os sete motivos para inovar na indústria sorveteira.


1. Aumento na quantidade e qualidade do faturamento

Como já antecipado, um dos motivos para inovar é o aumento de vendas, mas não é só isso. Por ser uma novidade, à medida que o lançamento for mais atrativo e diferente dos que já existem no mercado, mais se poderá cobrar por ele, retendo maiores margens.

Além disso, os lançamentos tendem a contribuir com as vendas dos demais itens do portfólio, já que a escolha da marca ou loja a ser consumida dependerá da atratividade do portfólio como um todo.

“Considerando que os freezers têm capacidade limitada de SKUs, um novo produto tem como um dos motivos de lançamento o enriquecimento e maturação do portfólio, com aumento de atratividade, volume e margens”, diz Marco Henriques, gerente de marketing da Doremus, empresa consolidada em produção e fornecimento de ingredientes para diversos setores da indústria alimentícia, incluindo sorvetes, açaís e sobremesas geladas.


2. Adequação do portfólio às tendências em produtos e necessidades do consumidor

O aumento da velocidade e a ampliação do acesso às informações que a vida moderna oferece aos consumidores tornou-os mais exigentes e, por outro lado, fez com que as empresas “subissem a régua” em termos de lançamentos, afinal, hoje eles têm acesso a tudo o que ocorre no planeta em tempo real.

“A pandemia de covid-19 acelerou muito o processo de digitalização global, trazendo a todos mais informações sobre o mundo. Ela também mudou a percepção e as necessidades das pessoas, trazendo às indústrias novas demandas de consumo, inclusive em relação ao que chamamos de ‘saudabilidade’”, afirma Henriques.

Posto isso, o consumidor, que está exposto constantemente às novidades, quer vivenciar ou ter acesso a isso. Essas novidades podem ser em sorvetes ou em outras categorias que podem ser trazidas também para o mundo dos sorvetes.

“Saber quais são as tendências em produtos e conseguir traduzir e fazer uma curadoria do que realmente pode ser atrativo para o consumidor é fundamental para a indústria conseguir sair na frente, se destacar e fazer sucesso”, acrescenta o gerente de marketing da Doremus


3. Reforço no posicionamento de marca

Os sorvetes pertencem a uma classe de produtos cujo consumo está muito atrelado à experiência. Os consumidores, cada vez mais exigentes, optam por marcas e itens que sejam capazes de levá-los a um estado mental superior, que inclua maior satisfação e prazer.

As empresas do segmento devem levar em conta que garantir a melhor experiência está relacionada a entender que as preferências das pessoas mudam, o portfólio deve contemplar novas soluções para demandas emergentes.

Portanto, lançar novos e atrativos produtos tem também como objetivo reforçar que a sua marca é inovadora, que sempre traz novidades, novas experiências e que está conectada com as necessidades dos consumidores. “É reforçando esse posicionamento que consumidores pensarão que é com a sua marca que eles terão o melhor momento que poderiam ter tomando sorvete”, diz o gerente de marketing da Doremus.


4. Geração de mídia espontânea

Henriques afirma ainda que “uma inovação bem-feita tem efeito multiplicador no consumo, e ajuda a economizar em mídias” ao promover o chamado buzz, que é tanto a comunicação feita entre consumidores quanto a feita por mídias especializadas e influenciadores, gerando mídia espontânea.

Vivemos num mundo em que existem muitas opções de produtos e essa variedade só cresce. Portanto, a indicação de pessoas próximas e de pessoas que são referência no mercado ganha um peso enorme na decisão de consumo.

“A notícia de uma inovação de qualidade tende a se propagar mais rápido e de forma mais barata, já que além da comunicação chamada ‘boca-a-boca’, ela é potencializada por compartilhamentos em redes sociais, influenciadores e mídias específicas que tem como função fazer a curadoria de novidades no mercado”, resume Marco.


5. Liderança baseada em inovação

Ser o primeiro a lançar um produto muito inovador e disruptivo, traz algumas vantagens. A empresa que aposta em algo novo que ganha tração entre o público têm grande chance de liderar e de virar sinônimo desta categoria quando ela crescer.

“Se essa percepção for realmente despertada pela marca junto ao consumidor, ela será sempre a primeira a ser lembrada por ele no momento de decidir pelo consumo desta categoria e os outros produtos e lançamentos do portfólio terão prioridade na cabeça do consumidor quando ele quiser experimentar novidades”, avalia Henriques.


6. Exploração de novos canais e mercados

Outra grande vantagem de ser o primeiro a lançar um produto disruptivo é ter a oportunidade de explorar novos canais e até mercados. Dependendo do produto, se ele atende a um novo público ou a uma demanda de mercado ainda não atendida, há a possibilidade de serem colocados freezers em locais e pontos de vendas ainda não explorados, sem concorrentes.


Se o produto tiver um atrativo realmente forte, abre ainda oportunidade inclusive de venda para outros países. No entanto, para obter sucesso neste tipo de inovação, é importante fazer a leitura correta das oportunidades e entender o comportamento do consumidor ao longo da sua jornada para saber o momento certo para o lançamento, afinal, pode ser que o mercado ainda não esteja preparado para receber determinada inovação.


Henriques diz que, se esses fatores forem levados em conta, a chance de a empresa “nadar em um oceano azul” de oportunidades é grande. “Uma iniciativa inovadora bem-feita permite vender produtos sem a saturação de mercados concorridos, longe dos efeitos da concorrência, o que aumenta consideravelmente a rentabilidade”, avalia.


7. Aumento da margem de lucro

A inovação aumenta a margem de lucro por uma série de fatores, alguns já citados nos tópicos acima. Sobretudo, podemos destacar os pontos a seguir.

Por serem novidades ou diferentes, pode-se cobrar um valor superior em relação aos outros itens, que já tem concorrentes no mercado. Quando se fala em atender novos canais ainda não explorados, esse ágio será maior ainda.

Produtos que trazem novos conceitos e experiências desconectam o valor do produto do custo dos ingredientes, pois esse momento de consumo é equivalente a outros tipos de experiências, com preços maiores, justificando estes preços.

Quando o produto é inovador o suficiente para gerar buzz, a empresa tem ganhos em marketing gerados pela mídia espontânea, feita pelo “boca-a-boca”, mídias sociais, influenciadores e mídias especializadas, potencializando investimentos em mídias pagas.

Produtos de sucesso são mais buscados para serem representados, sejam por pontos de vendas ou por lojas franqueadas. Quanto mais pontos de vendas comercializam o portfólio da empresa, maior será a lucratividade, seja pelo aumento das vendas, seja pela redução do custo de distribuição por produto vendido.

Assim também, produtos que caem no gosto dos consumidores são mais procurados e a venda de outros itens do portfólio acontece como consequência. E ainda, quanto maior for o volume de vendas, maior será o poder de barganha na compra dos insumos e na venda dos produtos.

Em suma, inovar gera um círculo virtuoso de oportunidades que aumentam o lucro. Mas para captar todas elas, é necessário frequência e assertividade. O enriquecimento do portfólio é um trabalho constante, que para chegar num alto nível de performance, pode levar anos.

O gerente de marketing da Doremus acrescenta ainda que para obter os benefícios da inovação, os lançamentos precisam ser realmente inovadores. “Apenas copiar os produtos e lançamentos de concorrentes reduzirá o potencial de ganho”, alerta o especialista.

Se você quer saber mais sobre como inovar, quais são os pré-requisitos para garantir maior assertividade e conhecer as oportunidades de inovação no mercado de sorvetes, acompanhe os próximos conteúdos do Inova Sorvetes by Doremus.

Fonte: EdairyNews




Comentários


bottom of page